34.6 C
Brasil
sexta-feira, julho 1, 2022

Responsável pelo @ospaulistinhas, Carolina Botelho abre o jogo sobre o transporte de animais em aviões!

Publicidade

Com a chegada das férias, aumentam os números de passageiros pets, nas viagens de avião. E com isso, os casos de morte de pets, também crescem. Recentemente, ocorreram 2 destes casos, o que levou muitas pessoas a perguntarem o que pode ser feito para evitar esses incidentes. Carolina Botelho, tutora dos pets Dingo e Cacau e responsável pelo @ospaulistinhas explica que, felizmente, as regras sobre transportes de pets em aviões são bem rígidas e que é importante conhecê-las muito bem, para poder realizar a viagem.

O primeiro passo é ter certeza de que seu animalzinho esteja devidamente adestrado, para que seja possível uma viagem tranquila, para ele, para você e para os passageiros do voo. Algumas companhias permitem o transporte do bichinho, junto de seu tutor, para que seja possível observá-lo e dar-lhe segurança. O limite de peso permitido é composto pelo peso do pet somado ao peso da caixa de transporte e deve chegar ao máximo de 10kg. Se ultrapassado o limite de peso, o animal deverá viajar no compartimento de carga ou em um avião separado, destinado apenas para transporte de cargas. Nesse caso, a companhia aérea deve ter todo o cuidado necessário no bagageiro, antes e pós viagem com o pet, de modo que ele não se desidrate e fique na sombra. Além disso, é importante não demorar para entregar o animal ao tutor, pois foram aí que ocorreram as mortes recentemente e lembrar sempre que pet não é mala, é um ser vivo que necessita de uma atenção especial, de manejo e condições apropriadas de espaço para o transporte.

Publicidade

“Devemos lembrar que, assim como nós humanos, os pets também necessitam de documentação para viajar de avião. No caso de transporte interestadual é necessário apresentar carteira de vacinação com comprovante de vacina antirrábica, aplicada a mais de 30 dias e a menos de 1 ano e um atestado de saúde emitido por médico-veterinário, até 10 dias antes da viagem, garantindo que o pet esteja saudável e em boas condições para viajar”, explica Carolina.

Já para destinos internacionais, também é necessária a carteira de vacinação e o atestado de saúde, além de um certificado Veterinário Internacional (CVI), válido por 60 dias corridos após a emissão, um certificado Zoossanitário Internacional (CZI), também válido por 60 dias corridos após a emissão e um atestado sanitário emitido por um veterinário, até 10 dias antes da emissão do CVI, garantindo que o pet está saudável.

Com tudo em mãos, é hora dos preparativos finais. Acostume gradualmente seu pet com a caixa de transporte, veja com seu veterinário sobre o conteúdo e a frequência ideal da alimentação, para o dia da viagem. Não dê medicamentos sedativos para seu pet, a menos que prescritos pelo veterinário. Por fim, fique atento aos cuidados pós transporte. Após a viagem, dê ao seu pet água fresca em abundância, uma pequena porção de comida e evite que ele faça muito exercício. Levando em consideração todos estes cuidados, você e seu companheiro farão uma viagem tranquila e divertida!

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.