32.9 C
Brasil
segunda-feira, agosto 15, 2022

Razões pelas quais um cachorro come fezes

Publicidade

Comer cocô é um dos comportamentos mais grosseiros dos cães. Tecnicamente, é chamada de coprofagia e é definida como o hábito de ingerir os próprios excrementos ou de qualquer outro animal ou ser humano.

Esse comportamento, bastante comum, pode ocorrer tanto em cachorros filhotes quanto em adultos e você deve saber o que é para poder evitá-lo. Se virar rotina, a primeira coisa a fazer é ir ao veterinário. Explicamos a você abaixo.

Autocoprofagia ou coprofagia

Publicidade

A coprofagia está incluída no comportamento alimentar conhecido como autocoprofagia. É um distúrbio em que o indivíduo afetado ingere substâncias que não fazem parte da dieta habitual da espécie. Quando essas substâncias são excrementos, falamos de coprofagia.

A coprofagia é um comportamento normal e não patológico em cadelas que acabaram de dar à luz. Instintivamente, assim como as placentas e o cordão umbilical ingerem, elas vão consumir as fezes na tentativa de manter a higiene, para esconder da presença dos filhotes esse e seu estado de maior vulnerabilidade.

Também não é incomum para os filhotes ingerir fezes como parte de sua avidez exploratória. Mas esse comportamento não deve se estender além deste período da juventude. Finalmente, os cães também podem comer fezes se viverem em condições insalubres onde não são suficientemente limpos. Fora dessas exceções, a coprofagia deve ser tratada.

Razões para coprofagia

O fato de um cão ser atingido por um cocô e cravar os dentes ou tentar fazê-lo é uma situação bastante comum. Mas a coprofagia se torna um problema quando passa a fazer parte da rotina do cão. Ou seja, quando nosso cão come seus excrementos ou os de outros animais sempre que tem oportunidade.

Publicidade

Os especialistas lidam com várias hipóteses que explicariam esse comportamento desagradável. Podemos basicamente dividi-los em aqueles de origem física, ou seja, são decorrentes de doenças, ou aqueles que encontram seu desencadeador em um problema em nível psicológico.

Portanto, se estamos preocupados com a ingestão excessiva de fezes, o primeiro passo é ir ao veterinário. E devemos nos preocupar, pois o consumo de fezes pode levar nosso cão a contrair parasitas intestinais ou até mesmo sofrer de distúrbios gastrointestinais, como vômitos ou diarréia.

Causas físicas da coprofagia canina

Diante de um cão que pratica coprofagia habitual, o veterinário fará uma revisão completa para identificar ou descartar qualquer causa física. Se o exame concluir que nosso cão é saudável, é quando uma origem psicológica será considerada. Estes são os distúrbios físicos que estão mais comumente por trás da ingestão de fezes:

Dietas inadequadas: uma dieta pobre que não cobre todas as necessidades nutricionais do cão pode estar por trás da coprofagia, na tentativa do animal de completar sua dieta. Mas também há cães que comem esterco que estão perfeitamente alimentado.

Síndrome de má absorção: nesta ocasião a dieta do cão pode ser adequada, mas o problema é que seu corpo não consegue extrair da comida todos os nutrientes de que necessita. A falta é o que o empurra a comer o excremento vorazmente.

Parasitas internos: a presença de grande número de vermes intestinais é outro fator que pode estar envolvido na coprofagia devido às alterações que esses parasitas causam no trato digestivo.

Diabetes tipo I e II – assim como as pessoas, os cães também podem ser diabéticos se seus corpos não produzirem a insulina de que necessita. Entre os sintomas dessa doença destaca-se o aumento do apetite que pode levar à coprofagia.

Hiperadrenocorticismo ou síndrome de Cushing: esta doença é causada pela exposição prolongada a altos níveis de glicocorticóides secretados pelo corpo ou administrados como medicação. Eles causam um aumento no apetite.

Hipertireoidismo: não é uma doença muito comum, mas também é considerada um fator de risco para coprofagia, pois faz com que o cão sinta mais fome.

Insuficiência pancreática exócrina: do pâncreas é um dos órgãos envolvidos na digestão. Produz enzimas que auxiliam nesse processo. Portanto, doenças que interferem no seu funcionamento aumentam o apetite e podem levar à coprofagia.

Coprofagia canina como problema de comportamento

Se o cão comer fezes, depois de uma revisão completa na clínica veterinária nos disserem que está bem de saúde, podemos pensar que o problema se deve a uma alteração psicológica. Isso deve ser tratado por especialistas em comportamento canino ou etologistas. As causas mais frequentes são as seguintes:

Comportamento exploratório: os cães são naturalmente curiosos e irão explorar o ambiente ao seu redor. A descoberta das fezes pode motivá-los a experimentá-las e a estabelecer uma rotina alimentar. Alguns excrementos parecem particularmente atraentes para eles, como excrementos de gato ou cavalo.

Estresse: os cães possuem necessidades básicas que garantem seu bem-estar. Se eles não forem satisfeitos, o resultado será uma imagem de estresse. A coprofagia é um dos comportamentos alterados que podem surgir nesses casos.

Falta de estimulação – os cães não precisam apenas ser capazes de se exercitar. Eles também requerem atividade em um nível mental. Sem ela, surgirão a frustração, o tédio e a busca por estímulos inadequados, como a coprofagia.

Reforço do comportamento sem que percebamos: nos casos em que os cães ingerem fezes para chamar a nossa atenção, que os escutemos, mesmo que seja para repreendê-los, incentiva-os a manter esse comportamento.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.