25.1 C
Brasil
sábado, outubro 1, 2022

Por que meu cachorro morde o rabo?

Publicidade

Ter um cachorro mordendo o rabo pode parecer um comportamento engraçado para nós. E pode ser se virmos um cachorro em um determinado momento. Em vez disso, morder a cauda repetidamente é indicativo de um problema.

Às vezes é por desconforto físico na região, mas a origem também pode ser encontrada em problemas psicológicos. O veterinário e os especialistas em comportamento canino são os profissionais encarregados de remediar este comportamento.

Cães perseguem uns aos outros e mordem o rabo

Não é incomum os cães perseguirem e morderem a própria cauda. Eles começam olhando para ela por alguns segundos e, de repente, eles a atacam para segurá-la com a boca e mordiscar. O ataque faz com que a cauda abane, afastando-se e fazendo com que o cão inicie uma perseguição circular contra o seu próprio corpo.

Publicidade

Um episódio dessas características não tem nada de patológico. É mais comum presenciar isso em filhotes. Quando se separam da mãe e dos irmãos e se estabelecem em um novo lar, podem se ver, especialmente nos primeiros dias, um tanto deslocados. Na exploração do ambiente e na busca por estímulos, a cauda surge como outro objeto.

Leia Também:

Fora desse tipo de episódios específicos, perseguir e morder o rabo obsessivamente indica um distúrbio que deve ser resolvido. O primeiro passo é ir ao veterinário caso seja por algum problema de saúde. Somente se o cão for saudável, podemos pensar em um distúrbio psicológico. Nesse caso, é consultado um etologista ou especialista em comportamento canino.

Parasitas comuns em cães

Às vezes, o cachorro persegue a si mesmo e morde o rabo porque está coçando na área. Uma causa comum de coceira na região anal são os parasitas internos. Alguns, como as tênias, soltam pedaços semelhantes a grãos de arroz que contém seus ovos. Podemos detectá-los ao redor do ânus e na base da cauda.

Embora não detectemos parasitas, se o cão for um filhote, não tiver vermifugação há muito tempo ou não sabemos se já foi vermifugado, devemos considerar a possibilidade de uma infestação. O veterinário nos dará o produto mais adequado para eliminar os parasitas. Por outro lado, a área final das costas é um local típico para pulgas.

Publicidade

Leia Também:

A mordida ali é um dos sinais de sua presença. Da mesma forma, é o veterinário quem deve prescrever o vermífugo, bem como a frequência de sua administração. Esteja ciente de que alguns cães desenvolvem alergia à saliva da pulga e sofrerão lesões na pele da região, além de queda de cabelo.

Glândulas anais de cães

As glândulas anais são pequenas bolsas dispostas em ambos os lados do ânus. São esvaziados a cada defecação, lubrificam as fezes e exalam o cheiro característico de cada cão. Quando por algum motivo não são esvaziados ou não são completamente esvaziados, podem inflamar-se e até infeccionar.

Isso causa um desconforto que o cão tentará aliviar com a boca. Claro, você tem que ir ao veterinário. Em cães com tendência a sofrer deste problema, é necessário esvaziar as glândulas manualmente com regularidade. O veterinário pode fazer isso ou nos ensinar a esvaziá-los em casa.

Problemas ósseos e neurológicos em cães

Um cão que sofre uma quebra de cauda ou algum tipo de lesão no nervo periférico pode sentir desconforto que o leva a perseguir e beliscar a cauda. Se suspeitarmos de danos desse tipo, devemos ir ao veterinário.

Tumores em cães

O comportamento de morder a cauda pode ser causado por um tumor intracraniano ou por hidrocefalia, que é o acúmulo de líquido cefalorraquidiano no cérebro. Algumas doenças, como a meningoencefalite, também podem fazer com que o cão se fixe na cauda.

Por outro lado, doenças como cinomose ou síndrome de Aujeszky foram identificadas como causadoras de mutilações na cauda em alguns espécimes. Em qualquer caso, todos esses distúrbios requerem tratamento veterinário.

Problemas de comportamento em cães

Se morder o rabo se tornar um hábito, uma vez que os problemas físicos tenham sido descartados, podemos pensar que estamos lidando com um distúrbio de comportamento. Especificamente, seria uma estereotipia, que é definida como um comportamento que se repete obsessivamente na mesma sequência e sem qualquer função.
Em alguns espécimes, torna-se tão grave que acabam causando feridas terríveis na cauda. É por isso que é importante compreendermos que não é um jogo e que deve ser interrompido o mais rapidamente possível. Deixe claro que isso não se resolverá com punições. Se o fizer, é porque não pode controlá-lo. É sua maneira de expressar frustração. É por isso que o comportamento cessará se eliminarmos a fonte de seu desconforto e não prestarmos atenção a ele enquanto está sendo realizado para evitar reforçá-lo. Este problema pode afetar todos os cães, mas a predisposição foi encontrada no pastor alemão e no bull terrier.

Leia Também:

Resolva problemas de comportamento canino

Os cães precisam de condições básicas de vida para seu bem-estar físico e psicológico. Se isso não for atendido, surgem problemas de comportamento que são a manifestação do estresse que está acontecendo. Portanto, para evitar morder a cauda, ​​siga estas dicas:

  • Sua companhia é fundamental, pois o cachorro é um animal social. Não se trata de passar 24 horas por dia juntos, mas também não dá para ficar sempre sozinho, muito menos amarrado ou trancado.
  • Fornece estimulação a nível físico, mas também mental, com caminhadas, excursões, jogos de inteligência, exploração, etc. É assim que você luta contra o tédio e a frustração.
  • Socializá-lo, ou seja, expô-lo a todos os tipos de estímulos e educá-lo pelo menos nas ordens básicas. Sempre seja consistente nas regras que você impõe. Desta forma, o estresse é reduzido e o aprendizado positivo e sem medo é facilitado.
  • Faça um cronograma para ele. Os cães precisam viver em um ambiente previsível.
  • Claro, dê-lhe comida adequada, água limpa e fresca quando necessário, escove-o e leve-o ao veterinário tanto para check-ups regulares quanto para tratar quaisquer sintomas.
  • Essas medidas podem resolver distúrbios de conduta leves ou em estágio inicial. Se você os cumpre e seu cão não melhora ou seus problemas de comportamento são graves, lembre-se que o etologista ou especialista em comportamento canino é o profissional que você deve procurar. Às vezes, um tratamento farmacológico também é prescrito.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.