26.1 C
Brasil
sexta-feira, setembro 30, 2022

O que fazer para dois cachorros se darem bem

Publicidade

É bem possível morar em uma casa com mais de um cachorro. Mas se ainda temos um “cachorro solteiro” e estamos pensando em adotar outro ou fazer um orfanato temporário, é normal que surjam dúvidas.

É importante que saibamos fazer uma apresentação correta e que levemos em consideração uma série de orientações para contribuir para uma boa convivência entre os dois cães. Esses recursos também são úteis se eles já vivem juntos e se dão mal.

É conveniente adotar um segundo cão?

Normalmente os cães gostam de interagir com os seus pares e normalmente não é um problema, pelo contrário, ter dois ou até mais em casa. Mas você tem que levar em conta o momento. Isso significa que se o cão está em uma situação especial, não é a melhor ideia aumentar seu estresse com uma mudança tão significativa quanto um novo cão.

Publicidade

Por exemplo, um cão muito velho ou doente não está na melhor disposição para uma nova convivência e pode até prejudicar sua condição. Também não é bom apresentar outro cão se o nosso tiver um problema de comportamento ou for agressivo com seus pares. Isso tem que ser resolvido antes.

Caso contrário, poderíamos ter dois problemas em vez de um. De resto, pense se você pode arcar com as despesas de dois cães e se tem espaço e tempo para cobrir as necessidades de ambos.

Dicas para escolher um segundo cachorro

Às vezes, é o segundo cão que nos escolhe por vários motivos. Por exemplo, se você simplesmente voltar para casa sem planejar, porque o encontramos na rua. Mas outras vezes, sua chegada é o resultado de uma decisão cuidadosa. Neste caso é conveniente procurar um cão semelhante ao nosso para facilitar a convivência.

Referimo-nos ao tamanho, idade e também ao seu nível de energia. Mas este aspecto pode ser matizado, por isso é essencial que conheçamos bem o nosso cão e nos informemos o máximo possível sobre o novo. Por exemplo, se moramos com um cachorro mais velho ou calmo, a energia transbordante de um filhote pode ser insuportável.

Por outro lado, se o nosso cão adulto for muito ativo, o jovem será capaz de manter o seu ritmo de jogo. É por isso que às vezes a compensação entre os dois facilita sua adaptação. Em relação ao sexo, o ideal em uma posse responsável é que sejam castrados. Do contrário, é impensável manter um macho e uma fêmea inteiros sob o mesmo teto.

Como apresentar um novo cachorro

Publicidade

O primeiro aspecto a considerar ao apresentar é que você esteja calmo. Encontre um momento em que você tenha tempo para se concentrar em uma saudação ininterrupta. O primeiro contato entre os cães deve ser organizado fora de casa. Precisamos de um território neutro em que ambos estejam em pé de igualdade.

É por isso que não se deve trazer o novo diretamente para dentro de casa, pois é um território que já tem um “dono. Como tendemos a ficar nervosos nessas situações, seria ideal que os cães pudessem farejar e se reconhecer em seu próprio ritmo enquanto estão soltos, sem a nossa intervenção. Assim não transmitimos nossa insegurança pela coleira.

Isso pode colocá-los em estado de alerta e consequentemente predispô-los a uma reação negativa. Observaremos sua interação com calma e sem intervir. Assim que o primeiro contato for resolvido, colocaremos as coleiras neles e daremos uma volta. Você pode trazer os dois cães ou solicitar a ajuda de outra pessoa para levar o novo.

A chegada de um segundo cachorro em casa

Depois de uma boa caminhada sem incidentes, podemos voltar para casa. Lá já teremos preparado os acessórios para o recém-chegado. Coloque duas camas e dois bebedouros. Não deixe alimentos à disposição gratuitamente, pois podem surgir conflitos, pois é um recurso básico que eles vão querer defender.

O mesmo acontece com os brinquedos. Guarde-os por enquanto e distribua-os você mesmo conforme a situação evolui. Solte os cachorros e deixe-os sozinhos para que cada um encontre o seu lugar. Monitore-os, mas intervenha apenas se houver agressão aberta.

Nesse caso, separe-os e tente a interação novamente no dia seguinte, começando de fora de casa. Na hora das refeições, dê a cada um seu comedouro. Se a situação for tensa, faça-o em salas separadas.

Como reagir a uma briga

Se o que mais tememos acontecer, ou seja, uma agressão entre os dois, temos que agir rapidamente, removendo o cão agressor. Podemos tirar sua coleira do caminho e levá-lo para outra sala.

Se não ousamos intervir, eles tendem a se separar imediatamente se jogarmos água sobre eles. Os cães têm que ficar separados até ficarem completamente calmos.

Nesse caso, você pode repetir a apresentação desde o início ou entrar em contato com um profissional de comportamento canino. Lembre-se de que rosnados ou “ameaças” são normais na convivência e não requerem nossa intervenção. Isso é reservado para os casos em que a agressão é efetiva e grave.

Quando dois cachorros se dão bem

Se já vivemos com dois ou mais cães que não se dão muito bem, a primeira coisa é rever a sua rotina. Os cães precisam da nossa companhia e têm as suas necessidades básicas satisfeitas, o que inclui estimulação física e mental.

É essencial que eles se exercitem diariamente. Isso inclui caminhadas na coleira, 2-3, mas também a capacidade de correr e jogar solto. Em relação aos recursos, a comida pode ser fonte de conflitos, por isso recomenda-se oferecê-la a cada um em seu comedouro, aguardar alguns minutos e retirá-la.

Se você der a eles quaisquer extras ou brinquedos, terá que ser igual para ambos. Da mesma forma, cada um deve ter sua própria cama. A educação em obediência é básica e você não deve diferenciar os cães. As regras da casa são as mesmas para todos. O estabelecimento de rotinas e regras reduz o estresse e, consequentemente, os conflitos.

O que fazer para se dar bem

Às vezes encontramos situações completamente insustentáveis ​​em que as pessoas parecem ter se resignado a viver como se fossem insolúveis. Mas eles não são. Veterinários comportamentais caninos ou etologistas podem resolver esses tipos de problemas.

Eles também atendem a dúvidas específicas que surgem durante o processo de adaptação. Mas, sim, resolver problemas de comportamento exige tempo e paciência. Se você suspeita que um novo cão pode ser um problema, opte por um orfanato.

Desta forma, você assina um compromisso apenas por um período de tempo, o cão continua sob a guarda da associação protetora e se a convivência for impossível, eles serão responsáveis ​​por colocá-lo em uma nova casa.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.