27.9 C
Brasil
segunda-feira, outubro 18, 2021

O que a pelagem diz sobre a alimentação do seu pet?

Publicidade

Nos últimos anos, os pets passaram a fazer parte do orçamento familiar. Essa importância que os humanos vêm dando a seus animais de estimação cresce a cada dia, principalmente devido às funções que eles exercem na casa: companhia, proteção, terapia, diversão, entre outras. O número de animais domésticos por família também aumentou, sendo que o Brasil tem hoje a segunda maior população de cães e gatos do mundo: 55,1 milhões de cães e 24,7 milhões de gatos. Isso implica no aumento da demanda do mercado Pet Food, que se desenvolve buscando, principalmente, saúde, bem-estar e longevidade aos animais. Os tutores se preocupam também com a aparência de seus pets, e para que eles tenham pele e pelagem brilhante, macia e sedosa, é preciso entender um pouco sobre as necessidades alimentares dos bichinhos.

A pele é o maior órgão do corpo, e desempenha funções importantes, como proteção contra agressões físicas, químicas e microbiológicas, e possui componentes sensoriais para percepções térmicas, de dor, tato e pressão. A pelagem protege o animal da luz solar e mudanças de temperatura. As células da pele e os pelos estão em constante renovação, por isso precisam de nutrientes específicos para sua manutenção, e uma excelente nutrição exerce papel essencial tanto para a prevenção de problemas cutâneos quanto para o tratamento de alguns problemas dermatológicos. Vimos em estudos que um em cada três cães apresenta problemas de sensibilidade, e 17% desses casos estão relacionados aos problemas de pele e pelagem.

Publicidade

Os alimentos completos e balanceados, indicados pelos médicos-veterinários como alimentos para o dia a dia do pet, são constituídos por ingredientes e aditivos capazes de atender integralmente suas exigências nutricionais, e podem ser apresentados em alimentos secos e úmidos. Os alimentos úmidos podem ser inseridos para os pets como fonte única ou associado ao alimento seco, trazendo muitos benefícios, como o aumento da ingestão hídrica e a diluição urinária, além de tornar o alimento muito mais palatável. A ingestão hídrica é tão importante quanto o fornecimento de uma alimentação balanceada.

Os nutrientes funcionais presentes nos alimentos completos e balanceados, como proteínas de alta digestibilidade e seus aminoácidos, as vitaminas A, C, E, e vitaminas do complexo B, ácidos graxos ômega 3 e 6, colágeno e zinco têm contribuições diretas e indiretas para a pele e pelagem dos animais. Esses nutrientes são indispensáveis para atender a alta demanda energética necessária para o suporte da produção celular dos tecidos, mantendo-os mais saudáveis e visualmente mais bonitos.

A primeira barreira protetora do corpo é o pelo, aproximadamente 95% constituído de proteína. Assim, a ausência de proteína faz com que os pelos fiquem opacos, quebradiços e propensos a caírem. Os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 apresentam propriedades anti-inflamatórias, dando suporte à barreira cutânea e nutrição extra para a pele. E a sua ausência pode causar pelagem seca e descamação.

O zinco também é de extrema importância, pois de toda a quantidade contida no organismo do animal, ao menos 20% são apresentados na pele. Ele modula as respostas inflamatórias e influencia a cicatrização das feridas. Assim, se houver uma deficiência de zinco, os pets podem apresentar escamação, crostas e quedas de pelo, principalmente nas regiões periocular e perioral.

A vitamina A desempenha um papel fundamental no crescimento e diferenciação das células, pois auxilia no processo de queratinização das células epidérmicas, sendo importante para a manutenção cutânea. A vitamina E, juntamente com o selênio, auxilia como um antioxidante para eliminar os radicais livres produzidos a partir dos raios UV. As vitaminas do complexo B, principalmente a Biotina, ajudam a manter a pele saudável e a pelagem exuberante. Assim sendo, sua falta pode causar alopecia facial.

O brilho da pelagem dos cães e gatos também está associado à qualidade do sebo produzido pelas glândulas sebáceas. Quanto melhor a qualidade do sebo, mais brilhante e sedosa estará a pelagem.

É dever dos médicos-veterinários instruírem os tutores para que o manejo alimentar dos cães e gatos seja adequado, evitando doenças, obesidade, desnutrição e, consequentemente, uma pelagem sem brilho e com queda intensa dos pelos. Entretanto, cada animal deve ter seu alimento específico, respeitando a idade fisiológica e espécie, e essa comida deve ser administrada em quantidades corretas para não haver excesso ou falta de nutrientes, garantindo dessa forma maior longevidade aos animais e muita beleza exterior.

Por Bruna Caroline Moraes, Médica – Veterinária | Consultora Técnica da Special Dog Company

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui