22.8 C
Brasil
sexta-feira, janeiro 21, 2022

O gatinho chegou, e agora?

Companheiros, divertidos e fiéis, os gatos conquistaram os humanos e a cada dia ganham mais espaço nos lares brasileiros. Mas, você sabe como preparar o lar para a chegada do felino, especialmente no caso dos filhotes?

O planejamento é fundamental para que o gatinho vivencie uma experiência agradável, nos primeiros dias na casa nova e, principalmente, para que o período de adaptação transcorra sem problemas, assegurando o bem-estar do pet.

Publicidade

Pesando nisso, a médica-veterinária e Gerente de Produtos da Unidade Pet da Ceva Saúde Animal, Nathalia Fleming, listou oito dicas para proporcionar uma adaptação confortável e tranquila tanto para os tutores, quanto para o felino. Confira:

1- Respeite o comportamento do felino.

Os gatos são seres semi-sociais, ou seja, apreciam a interação social com moderação, podem ser levemente desconfiados e gostam de agir solitariamente em algumas atividades diárias, como na hora de se alimentar e se limpar, por exemplo. Por isso, a primeira dica para adaptação do filhote é conhecer e respeitar o comportamento do pet.

2- Reserve um cômodo para fazer a ambientação.

Na chegada do gatinho, será importante reservar um cômodo para que ele fique confortável e seguro até se ambientar com a nova casa. O gatinho deve ter nesse espaço locais para se esconder, como casinhas e tocas, as caixas sanitárias, comida, água e brinquedos. Se for um gatinho tímido ele pode ficar quietinho nos primeiros dias até começar a explorar o ambiente e querer sair do cômodo. Se for um gatinho mais curioso, ele poderá já nos primeiros dias querer explorar todo o ambiente. É importante observar o comportamento do gato e deixá-lo à vontade para explorar a casa quando ele se sentir seguro. À medida que ele começar a explorar o ambiente e se sentir à vontade em todos os locais da casa, as coisas dele também deverão ser distribuídas pela casa como por exemplo, os potinhos com comida, água, brinquedos e banheiro. Invista no uso do análogo sintético do feromônio facial felino (difusor) no ambiente, plugando-o na tomada 2 dias antes do gatinho chegar e mantendo-o por 30 dias seguidos, isso tornará a adaptação muito mais rápida e fácil, transmitindo para o gatinho uma mensagem de conforto, segurança e bem-estar.

3- Cuidados na sociabilização

Os felinos têm uma conexão especial com seu ambiente, dessa forma tirá-lo de casa ou expô-lo a muitos seres e estímulos desconhecidos pode gerar estresses e acabar prejudicando todo o processo. O indicado é realizar a sociabilização as diversas situações de forma gradual, respeitando o ritmo e estilo do gato de explorar com muita cautela. Para isso, invista em interações graduais, seja com outros animais ou com os visitantes da casa.

4- A arranhadura é um comportamento natural

Muitos tutores não compreendem a motivação dos felinos em arranhar, porém a arranhadura é um comportamento natural. Os gatos precisam aparar e afiar as unhas constantemente e o ato de arranhar cumpre exatamente essa função. Para evitar que algum objeto indesejado ou item da mobília se transforme em um enorme atrativo para o pet, o indicado é estimular o gato, desde filhote, a utilizar o arranhador. Dessa forma ele direcionará a ação para o local apropriado. Lembre-se, o gato precisa de uma arranhador firme que seja capaz de aguentar seu peso ao se esticar para fazer a arranhadura na vertical, por exemplo. É importante também deixar os arranhadores em diferentes partes da casa, de preferência em locais de passagem para o gato fazer sua arranhadura. Hoje existem vários arranhadores no mercado (diferentes materiais, horizontal, vertical), é importante saber qual seu gato irá se adaptar melhor, por isso, ofereça várias opções no ambiente e caso você não deseje que ele arranha alguma mobília específica, o análogo sintético ao odor facial felino em spray deve ser aplicado na mobília.

5- Invista em uma caixa de areia

Esse item é indispensável para os gatos, desde filhote, pois além de auxiliar na manutenção da higiene, a caixa de areia deixa os gatos mais confortáveis para realização de suas necessidades fisiológicas. Geralmente os gatos já utilizam a caixa de areia instintivamente, mas é importante você mostrá-la para ele e ter pelo menos 2 caixas em diferentes locais da casa. Escolha uma caixa de areia do tamanho adequado, ela deve ser grande o suficiente para o gato se virar dentro dela e conseguir cavar. Depois mostre ao pet onde o item está e o incentive a entrar no espaço, sem forçar. Recompensar o animal com estímulos positivos, como carinho e petiscos após o uso da caixa de areia também é uma excelente maneira de acelerar o processo de aprendizagem. Outro ponto importante é a localização do objeto, que deve ser posicionado em pontos de fácil acesso na casa, mas nunca próximo a água ou comida do pet. E lembre-se, caso você tenha mais de um gato o ideal é que a quantidade de caixa sanitária no domicílio seja de uma por gato mais uma extra.

6- Prepare vários cantinhos de descanso

Descansar é parte da rotina dos felinos. Alguns animais chegam a dormir mais de 12 horas por dia. No caso dos filhotes, esse comportamento é ainda mais comum. Por isso, o tutor deve providenciar espaços onde o pet possa sentir-se seguro e confortável para tirar alguns cochilos ao longo do dia. Lugares altos, como o topo do arranhador, prateleiras, ou até mesmo tocas e tendas costumam ser opções atrativas para os felinos.

7- Cuidados com a segurança do pet

Gatos são curiosos. Por isso é natural que busquem conhecer o território, explorando todos os cômodos da residência. Para evitar acidentes, algumas medidas de segurança devem ser tomadas, como manter fora do alcance do animal produtos de limpeza e objetos cortantes, por exemplo. Além disso, caso o pet viva em um apartamento é recomendada a instalação de telas de proteção em todas as janelas e na varanda, isso evitará que ele possa cair ao explorar a casa. E caso viva em casa, certifique-se de que o novato não tenha acesso à rua para sua segurança.

8- Brincar é preciso!

Os felinos gostam de brincar, especialmente se a forma de entretenimento estimula seu instinto caçador. Varinhas com itens na ponta, pompons e bolinhas são alguns dos objetos que costumam chamar a atenção dos gatos. Além disso, o tutor também pode investir em algumas brincadeiras com itens caseiros e que podem ser reproduzidas no ambiente doméstico, como:

  • Brincadeira na água – Coloque uma pequena quantidade de água em uma vasilha e mergulhe uma bolinha ou um barquinho de papel: brinque com o gato para empurrar o objeto aqui e ali na superfície.
  • Jogo de caça – Encha o fundo de uma caixa de papelão com pelo menos duas camadas de bolas de papel e jogue um rato de brinquedo para que o gato possa “encontrá-lo” como se e estivesse caçando.
  • Capture se puder – Construa um avião de papel e desafie o gato para pegá-lo durante o voo.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.