25.1 C
Brasil
sábado, outubro 1, 2022

Nutrição além da ração: saiba quando os pets precisam de suplementação alimentar

Assim como os humanos, as necessidades nutricionais dos animais mudam ao longo dos anos; suplementos ajudam a manter a saúde em dia e podem contribuir para a longevidade dos bichinhos

Publicidade

Manter uma alimentação saudável e equilibrada é um dos principais fatores para mantermos a saúde em dia. No entanto, há fases da vida em que precisamos de uma ajuda extra para garantir que o nosso corpo obtenha todos os nutrientes necessários para o seu bom funcionamento. E isso não é uma exclusividade dos humanos, já que as necessidades nutricionais dos pets também sofrem variações ao longo dos anos. E é aí que entram em cena os suplementos alimentares.

De acordo com Renata Piazera, farmacêutica e CEO da Fórmula Animal ― rede de franquias de farmácia de manipulação veterinária, que produz medicamentos voltados à saúde animal de forma personalizada ―, a suplementação é indicada quando determinado nutriente está em falta no organismo ou não é possível obtê-lo em quantidade suficiente apenas por meio da alimentação. “Esses complementos ajudam no aporte de vitaminas, minerais, fibras, ácidos graxos ou aminoácidos”, afirma.

Além disso, a suplementação pode ser utilizada como uma estratégia para otimizar o funcionamento do metabolismo e, consequentemente, contribuir com o bem-estar do animal em cada fase de sua vida ― da fase de socialização à velhice. “Os suplementos podem ser usados em diversas situações, como auxiliar as fêmeas nos períodos de gestação e amamentação; no tratamento e prevenção de doenças, a exemplo do câncer ou de problemas ósseos e articulares; no combate ao estresse; no aumento da energia e disposição; e, até mesmo, para contribuir com a longevidade dos pets”, explica Renata.

Publicidade

Como suplementar?

Primeiramente, é importante deixar claro que o tutor não deve administrar os suplementos alimentares aos pets por conta própria. Isso porque, diversos fatores devem ser considerados antes de iniciar o tratamento. “Os complementos só devem ser dados aos animais quando prescritos pelo veterinário. Para prescrever os nutrientes e as quantidades adequadas, o profissional precisa fazer uma análise completa sobre o pet levando em conta a raça, a idade, a condição geral de saúde, o peso, o estilo de vida e se há algum tipo de doença pré-existente”, alerta a CEO da Fórmula Animal.

Outro fator importante é a forma como esses complementos serão administrados. Muitas vezes o animal precisa tomar mais de um tipo de suplemento e, para evitar colocar o animal em uma situação de estresse, o ideal é optar pela suplementação personalizada. “Quando o suplemento é manipulado, é possível associar os componentes prescritos em uma única fórmula, além de eles serem produzidos na dosagem exata, considerando a individualidade de cada animal”, explica Renata Piazera.

No caso da Fórmula Animal, os suplementos podem, ainda, ser desenvolvidos em diversas formas de apresentação, como biscoitos, queijinho, hamburguitos, pasta oral, entre outras versões. Além disso, é possível adicionar o sabor de preferência do pet, que pode ser picanha, frango, bacon, presunto ou em opções doces, como chocolate, frutados e morango.

Tipos de suplementos

Publicidade

Os veterinários podem pedir a suplementação de qualquer tipo de nutriente, mas, em geral, os condoprotetores, a biotina, as vitaminas A, C e E, os minerais zinco, cobre e ferro, além dos ômegas 3 e 6, acabam sendo os mais prescritos. Por isso, Renata preparou uma lista com as principais funções de cada um deles.

Condroprotetores: são substâncias que hidratam e nutrem a cartilagem articular, como o colágeno hidrolisado. São indicados em casos de problemas ósseos e articulares.

Biotina: assim como as outras vitaminas do complexo B, ajuda no crescimento saudável dos tecidos. Costuma ser indicada em casos de crescimento acelerado de filhotes, que apresentam pelos frágeis e com perda de coloração, além de pele ressecada.

Vitamina A: é muito importante para as células da pele e dos folículos capilares dos animais.

Vitamina C: possui ação antioxidante e é uma aliada no fortalecimento do sistema imunológico.

Vitamina E: também possui atividade antioxidante e protege as células contra os radicais livres.

Zinco: tem ação antioxidante e combate os radicais livres, o que ajuda a retardar o envelhecimento celular. Além disso, auxilia na prevenção de coceiras, inflamações e infecções causadas por fungos e bactérias.

Cobre: previne a queda dos pelos e os mantêm macios e brilhantes. Também atua na manutenção da cor da pelagem.

Ferro: é indicado para animais com algum tipo de anemia.

Ômega 3 e 6: a dupla auxilia na elasticidade da pele, no brilho da pelagem e na nutrição do animal de forma geral. Além disso, o ômega 3 é importante no tratamento de doenças cardiovasculares.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.