25.1 C
Brasil
sábado, outubro 1, 2022

Inverno é época de redobrar os cuidados com a pele dos pets

Hidratação é a melhor forma de manter a barreira imunológica da pele íntegra e protegida

Publicidade

Os dias com as temperaturas mais frias, junto com a umidade do ar mais baixa, situações típicas do inverno em grande parte do Brasil, contribuem para o ressecamento da pele e pelos dos animais de estimação.  Parece contraintuitivo, mas é nessa época do ano que a barreira cutânea que protege os pets se torna mais frágil, favorecendo o aparecimento de problemas de pele e agravando quadros recorrentes de alergia.

“Os problemas de pele do verão estão mais relacionados à proliferação de ácaros, fungos e bactérias na pele dos pets, enquanto no inverno, a fragilidade da barreira imunológica da pele promovida pelo ressecamento é o grande problema”, conta Mariana Raposo, médica veterinária gerente da linha de produtos dermatológicos da Avert Saúde Animal.

A médica veterinária explica que com a umidade do ar muito baixa, a pele dos animais tende a perder água para o ambiente e ressecar, o que pode gerar coceiras intensas e lesões, dependendo do grau de ressecamento. “A coceira, inclusive, é um sinal importante de que a saúde e integridade da pele do pet podem estar comprometidas. E o ato de se coçar de forma frequente promove uma quebra mecânica da barreira de proteção, o que favorece a instalação de microrganismos oportunistas”, comenta.

Publicidade

O ressecamento da camada mais externa da pele sinaliza para as outras camadas que estas células superficiais precisam ser substituídas, acelerando o seu processo natural e interferindo de forma negativa na produção das ceramidas e do filme natural de hidratação da pele, gerando uma imperfeição na construção da barreira protetiva que acaba permitindo a entrada de agentes irritantes e microrganismos oportunistas.

“Nos pets que já tem problemas alérgicos de pele a época do ano é ainda pior porque, na grande maioria dos casos, já existe uma falha natural na concentração das ceramidas e dos outros componentes da pele, eles tendem a ter uma pele desidratada muito mais facilmente do que os pets não alérgicos. Por isso, com eles, a atenção precisa ser redobrada”, Mariana alerta.

Cuidado com os banhos no inverno!

O banho pode ser uma das causas aceleradoras do ressecamento da pele dos pets no inverno, já que a água ajuda a retirar a camada de oleosidade natural produzida pela pele. Além disso, quanto mais quentinha for a água, maior é este efeito de eliminação da oleosidade. Por isso é importante reduzir a quantidade de banhos durante a época mais fria do ano, preferir utilizar a água morna e dar banho sempre em um local protegido e sem corrente de vento.

“O ideal é que os banhos dos pets no inverno sejam feitos com shampoos hidratantes, que promovam uma hidratação mais profunda da pele e dos pelos. Em especial, aqueles shampoos que possuem nanopartícula lipídica, que ajudarão a formar uma segunda barreira de proteção na pele, ou com produtos com extrato de aveia coloidal cuja função é nutrir as bactérias benéficas da pele”, reforça a médica veterinária. “E sempre que possível utilizar hidratante após o banho, para ajudar a recuperar melhor e mais rápido as estruturas da pele e seu aspecto natural e viçoso”.

Publicidade

Só molhar a pele não resolve?

“Existem vários graus de ressecamento de pele. De forma geral, a água também hidrata, porém, a pele ressecada perdeu a sua capacidade de reter a água. Por isso, para conseguir uma hidratação prolongada é preciso recorrer a moléculas especializadas em fornecer a água, reter a água na pele e impermeabilizar a derme sem permitir que essa água saia novamente”, Mariana elucida.

Hidratação dos pelos não é só estética!

Os pelos dos pets são formados por várias cutículas em formato de escamas que revestem o fio por todo o seu comprimento. A ação do frio, sujeiras, incidência solar, o excesso de calor (como água quente dos banhos) e o contato com produtos químicos (incluindo alguns shampoos de limpeza profunda) podem provocar perda do revestimento natural dos pelos e a abertura dessas cutículas, o que facilita a perda de nutrientes e o seu ressecamento.

“Quando realizamos a hidratação dos pelos nós estamos nutrindo os fios e atuando de forma protetora na hidratação da pele do pet. O pelo bem nutrido não quebra, não embola com facilidade e dificulta que sujeira se deposite na pele do animal. A hidratação do pelo é recomendada para todos os tipos de pelagem, inclusive para os pets de pelos mais curtos, uma vez que o ciclo de crescimento do pelo é mais rápido e a pele é mais susceptível às mudanças climáticas”, explica.

Qual a melhor forma de manter a pele e os pelos dos pets hidratados?

De acordo com Mariana, quando o pet apresenta um problema dermatológico recorrente, lesões de pele, queda acentuada de pelos, é importante que um médico veterinário examine o animal e indique o tratamento adequado para aquele caso. Mas os animais que não apresentam problemas dermatológicos se beneficiam integralmente da hidratação da pele e dos pelos como parte de sua rotina.

É possível encontrar no mercado produtos como shampoos, soluções sem enxague, como sprays específicos para proporcionar pele e pelos hidratados para os pets, fáceis de adaptar ao dia a dia e que podem fazer parte do momento de carinho e conexão entre pet e tutor.

“É importante que estes produtos tenham componentes responsáveis por nutrir o microbioma cutâneo, como é o caso do extrato de aveia coloidal, que tem uma ação 4 em 1 na pele dos pets. Ela hidrata e acalma a pele irritada, estimula o crescimento das bactérias benéficas para a pele, e tem uma ação imunomoduladora”, finaliza.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.