21.1 C
Brasil
segunda-feira, dezembro 5, 2022

Intoxicação por cianobactérias em cães

Publicidade

Com a chegada do bom tempo, todos nos aproximamos da natureza. Espaços florestais e cursos de água são locais muito visitados na companhia dos nossos cães. É ótimo aproveitar um dia de passeio, mas não baixe a guarda.

As algas verde-azuladas, que na verdade são bactérias, podem ser tóxicas e até fatais para o cão se ingeridas em quantidades consideráveis. A seguir explicamos quais águas são perigosas e como prevenir e agir em caso de envenenamento.

Algas verde-azuladas ou cianobactérias

As algas verde-azuladas são agora chamadas de cianobactérias. Eram organismos que possuíam características de algas, daí seu nome, mas, com o avanço do conhecimento biológico, constatou-se que as características de suas células permitiam que fossem designados como bactérias. Especificamente, elas são bactérias capazes de fotossíntese.

Publicidade

O papel que desempenharam e fazem nos ecossistemas aquáticos, mas também nos terrestres, é muito importante. Elas vivem em oceanos, águas doces, lagos, pântanos, fontes termais, rochas, solos e até mesmo sob gelo. Proliferam preferencialmente em águas calmas, ricas em nutrientes, com temperaturas entre 15 e 30 ºC e pH entre 6-9.

Este tipo de proliferação é visível na água como algas azul-esverdeadas ou vermelho-acastanhadas. Água colorida, turva que também pode ser vista. Às vezes, a espuma se forma. Algumas cianobactérias produzem toxinas que podem ser fatais para os animais. Elas causam danos hepáticos, neurológicos ou dermatológicos.

Cães em risco de cianobactérias

É comum os cães que brincam ou nadam na água engoli-la. Correm o risco de serem intoxicados por cianobactérias, principalmente aquelas que imergem ou bebem em águas estagnadas, doces ou salgadas e a uma temperatura entre 15-30 ºC, por serem estas as condições favoráveis ​​para a proliferação das cianobactérias.
Os pontos de atenção são, portanto, lagoas e lagos. Os cães são afetados com mais frequência porque muitos gostam de água e ainda mais quem bebe de qualquer lugar. Além disso, são atraídos pelo cheiro exalado pelas flores de cianobactérias. O hábito de atirar objetos para pegá-los na água aumenta sua exposição.

Mas lamber o pelo molhado já pode causar envenenamento. Além disso, o envenenamento também pode ocorrer por simples contato. Cães com peso inferior a 18 kg são considerados de maior risco para a mesma quantidade. A propósito, as pessoas também podem ficar intoxicadas com cianobactérias.

Diagnóstico de envenenamento por cianobactérias

Infelizmente, o envenenamento por cianobactérias é grave e a porcentagem de cães que morrem pelos danos que causa a seus corpos é alta. É importante ter em mente que os sintomas dessa intoxicação podem começar em questão de minutos ou levar vários dias para aparecer. Os mais comuns são os seguintes:

  • Diarreia que pode conter sangue.
  • Vômito
  • Hipersalivação
  • Fraqueza.
  • Desorientação.
  • Inatividade.
  • Convulsões
  • Paralisia.
  • Problemas respiratórios.
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Falta de apetite.
  • Alteração da cor das membranas mucosas, que podem ficar amareladas, azuladas ou acinzentadas.
  • Urina escura
  • Comichão e erupções na pele.
  • Perda de consciência.

O que fazer se seu cachorro for envenenado por cianobactérias

Publicidade

Cães envenenados por cianobactérias podem ser salvos, mas para isso, além da quantidade ingerida, do tempo de exposição e do seu tamanho, é imprescindível providenciar pronto atendimento veterinário.

Portanto, se após um dia na água ou após ter bebido o cão apresentar algum dos sintomas acima mencionados, é necessário entrar em contato com o veterinário imediatamente. Não existe um antídoto eficaz, mas a fluidoterapia pode ser iniciada para tentar eliminar as toxinas o mais rápido possível.

Evite que seu cão seja intoxicado por cianobactérias

Logicamente, a melhor maneira de evitar o envenenamento por cianobactérias é evitar que o cão tenha acesso a águas que podem conter uma grande quantidade desses organismos. Lembramos que são mais comuns em águas estagnadas, como lagos ou lagoas , e nos meses de temperaturas amenas e sem chuva.

Além disso, tenha em mente que elas podem estar presentes em piscinas domésticas ou lagos decorativos se forem negligenciados. Em geral, é necessário evitar que o cão entre ou ingira água com aparência turva, suja ou com cheiro desagradável. Se você achar difícil de controlar, não o deixe solto perto desses espaços. Use coleira.

Além disso, não permita que ele lamba o pêlo se entrar em águas suspeitas. Por outro lado, se você acha ou vê que o cão bebeu água contaminada, pode enxaguar bem a boca com água limpa e levá-lo imediatamente ao veterinário. Manuseie com luvas, pois as cianobactérias também são prejudiciais às pessoas.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.