22.4 C
Brasil
segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gengivite em cães – o que é, sintomas e tratamento

Publicidade

Se você perceber que seu cão está comendo menos ou reclamando ao comer, é possível que ele tenha uma infecção na boca conhecida como gengivite. Esse tipo de infecção atinge a gengiva dos cães causando inflamação, produzindo dores moderadas que acabam sendo intensas se não for tratada com os medicamentos adequados.

No Meu Pulguento, explicaremos em detalhes como essa infecção se origina, quais os sintomas que ela apresenta e como podemos diagnosticá-la e tratá-la.

O que é gengivite?

Publicidade

A gengivite é um tipo de infecção que ocorre quando as gengivas ficam inflamadas. Dependendo do grau de desenvolvimento da doença, podem surgir úlceras, salivação e dificuldades para comer ou beber, podendo até levar ao sangramento gengival. Se a doença progredir sem tratamento, pode levar à perda do dente.

Como se origina a gengivite canina?

A gengivite primária origina-se em consequência do acúmulo de tártaro que favorece a infecção bacteriana, conhecida como doença periodontal.

A placa é uma camada fina e amarelada de bactérias, muco e resíduos de alimentos. Ele pode ser removido por escovação ou tratamento dentário. Já o tártaro é mais difícil de desaparecer, por isso você pode optar por uma limpeza dentária em uma clínica veterinária ou por adicionar ossos na dieta do cão (com controle, geralmente são ossos grandes).

A gengivite também pode surgir como consequência de outras doenças sistêmicas que seu animal de estimação sofre, como diabetes mellitus, desnutrição ou imunossupressão.

É perigoso para o meu cão ter gengivite?

Quando a placa bacteriana e o tártaro não são removidos adequadamente, é quando a infecção conhecida como gengivite pode começar. À medida que a infecção progride, as gengivas ficam mais vermelhas e inchadas.

E outros sintomas aparecerão, como:

  • Halitose ou mau hálito
  • Sangramento nas gengivas / úlceras
  • Linha gengival irregular e acúmulo de pus
  • Desconforto ao mastigar (dor moderada ou intensa)
  • Salivação excessiva

A gengivite causa dor e, se não tratada a tempo, podem aparecer abscessos. Essas bactérias podem causar otites ou migrar pela corrente sanguínea, espalhando-se internamente para outros órgãos, como fígado ou rins, com consequências fatais para a saúde do cão.

Por outro lado, se os dentes começarem a mover-se, existe o risco de cair e o cão perder vários dentes.

Tratamento para gengivite

Se for tratada a tempo, a gengivite pode ser completamente curada. O tratamento dependerá do estágio da infecção. Se você notar que as gengivas do seu cão estão vermelhas e inchadas, leve-o ao veterinário com urgência.

Geralmente, o veterinário nos dará o tratamento mais adequado que consiste em antibióticos, antiinflamatórios e possivelmente algum tipo de enxaguatório bucal para cães.

Além disso, os acúmulos de placa bacteriana e tártaro nas gengivas devem ser removidos, para que não voltem a inflamar. Para isso, o cão pode ter que ser sedado, limpo e os dentes polidos para limpar todos os dentes.

Se a gengivite for muito grave, o veterinário pode realizar radiografias dentais para ver a saúde de seus dentes e sua massa óssea. Às vezes, outros testes diagnósticos também são realizados, como uma biópsia gengival, na qual uma amostra de tecido é removida para análise.

O prognóstico é geralmente favorável para os casos em que as lesões são locais. As complicações da otite são um pouco mais difíceis de tratar, mas também têm um prognóstico favorável.

O mesmo não ocorre com as migrações (fontes de infecção) que podem ocorrer para outros órgãos internos.

Geralmente e para a nossa sorte, estes últimos são menos frequentes, pois os nossos animais nos dão sinais muito rápidos de que alguma coisa está errada com a gengiva e se formos ao especialista resolveremos em breve.

Como evitar gengivite

Ao contrário do que acontece com outras patologias e doenças difíceis de prevenir, no caso da gengivite e da doença periodontal é mais simples: o fundamental é garantir que o cão tenha uma boa higiene oral, evitando que a placa e o tártaro se acumulem em seus dentes.

Para isso, pode-se realizar uma escovação periódica com escovas especiais para cães que vendem em lojas especializadas e clínicas veterinárias. Lá você também pode encontrar enxaguatórios bucais e pasta de dente. Muitos dos cremes dentais que hoje são comercializados vêm com pontas de dedos, com células moles, que permitem massagear a gengiva enquanto lava a boca. O veterinário poderá recomendar o que for melhor, levando em consideração as características do cão.

Se o seu amigo peludo reluta em escovar, você sempre pode procurar uma alternativa, como o uso de salgadinhos dentais ou ossos para cães. Estes, junto com brinquedos de mastigar que estimulam a salivação, funcionam muito bem para remover o tártaro e prevenir a gengivite.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui