21.1 C
Brasil
segunda-feira, dezembro 5, 2022

Festas Juninas: Como proteger os cães que tem medo da celebração?

Médica veterinária lista quatro medidas simples que podem auxiliar os pets a lidarem com o medo dos barulhos típicos da comemoração

Publicidade

A temporada de festas juninas segue em pleno vapor pelo Brasil. A celebração, uma das mais aguardadas pelo público é conhecida pelas quadrilhas e pelas típicas iguarias brasileiras. Mas, você sabia que para os pets a festa pode ser desafiadora?

Isso acontece, pois, a celebração também é marcada pelos sons de fogos, rojões, biribinhas e demais efeitos sonoros que podem incomodar os cães.

“A audição do cão é mais aguçada que a nossa. Por isso, o estrondo dos artefatos é extremamente incômodo para o pet”, explica a médica-veterinária e gerente de produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Nathalia Fleming.

Publicidade

Ao ouvir o barulho o animal apresenta mudanças comportamentais que indicam medo e ansiedade. Tremores, latidos excessivos e buscar por abrigo são alguns dos gestos mais relatados pelos tutores em momentos de barulho intenso. “Dependendo da região onde o pet mora, os sons podem ser frequentes e ficarem ainda mais próximos dos animais e isso pode trazer riscos para o bem-estar e para segurança do pet”, conta Nathalia.

Os animais interpretam esses barulhos como uma ameaça, algo fora da rotina e isso desperta o pânico. É comum que os cães se escondam, e em casos graves a fobia pode até mesmo provocar a fuga ou acidentes domésticos.

Por isso, é necessário investir em medidas que auxiliem os pets neste momento desafiador. Para ajudar os tutores nesta missão, a médica-veterinária listou quatro dicas que ajudam a melhorar o bem-estar dos pets durante as celebrações juninas. Confira:

  1. Evite deixar o cão sozinho: Por conta do medo o pet pode correr descontroladamente pela casa ou tentar se esconder em locais perigosos. Sem a supervisão do tutor ambos os cenários podem colocar o animal em risco, afinal, ele pode se machucar ao esbarrar em algum objeto, ou até mesmo tentar fugir, por conta do pânico. Para evitar acidentes é indicado que o tutor fique junto ao animal. A presença pode inclusive ser uma ferramenta para tranquilizá-lo. Caso não seja possível, é indicado que o pet fique em um ambiente restrito e seguro onde seja possível abafar o som.
  2. Crie um ambiente seguro para o pet: Reserve um espaço para que o pet possa ficar durante a queima de fogos. Coloque os brinquedos do pet e distribua alguns petiscos que ele goste pelo local. É indicado tentar diminuir o barulho no espaço, uma dica é fechar portas e janelas e utilizar playlists indicadas para os animais, que auxiliam na diminuição do som externo. É importante ressaltar que o animal poderá ficar agitado mesmo neste cômodo especial, por isso assegure-se de que não existem itens perigosos no local e invista no enriquecimento ambiental para distrair o cão e o deixar mais confortável.
  3. Utilize estratégias para abafar os sons: Em casos em que o barulho está muito próximo a adoção de medidas para abafar os sons podem ajudar a diminuir o medo do cão. O tutor pode enrolar um chumaço de algodão e colocar no ouvido do pet. É indicado que o processo seja feito antes da queima de fogos, desta forma o cão estará mais calmo e tende a permitir com mais facilidade que o tutor realize o procedimento. Mas não esqueça de removê-los depois!
  4. Aposte em um análogo sintético do odor materno canino: O item auxilia na adaptação dos cães em situações adversas do dia a dia, trazendo a sensação de segurança, conforto e bem-estar. O produto pode ser utilizado no ambiente para auxiliar o cão durante esse momento desafiador e é recomendado por veterinários e especialistas em comportamento animal.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.