21.1 C
Brasil
segunda-feira, dezembro 5, 2022

Dicas importantes para salvar seu pet em caso de acidentes

Publicidade

Os animais sempre tiveram ao lado dos seres humanos, isso é fato! Com a pandemia, essa relação se tornou ainda mais estreita. Apesar de todo carinho e amor que temos por eles, será que estamos preparados para lidar com situações que envolvam a saúde ou até mesmo a manutenção da vida de nossos queridos animais?

Infelizmente, o conhecimento de técnicas de primeiros socorros não é conhecida por grande parte das pessoas no auxílio a outros seres humanos. E quanto aos acidentes aos animais?  O que podemos fazer?

Apaixonada por animais, inclusive pelo seu amigo inseparável Pickles, a Priscila Currie – que é a única paramédica brasileira neste cargo em Londres, acaba de elencar algumas dicas de socorro aos animais, em parceria com a Dra Maísa Secco, que é médica veterinária. Confira:

Publicidade

“As emergências acontecem e, dessa forma, estarmos preparados pode salvar a vida dos bichanos e garantir sua saúde deles. Mas muito cuidado, pois o susto e a dor podem deixar o animal agressivo ou tocá-lo”, explica Priscila.

Confira as dicas:

  1. Antes de qualquer coisa tenha disponível o contato de mais de um hospital, clinica ou Veterinário que atenda a qualquer momento. Muitos veterinários atendem somente em horário comercial e talvez não poderão oferecer ajuda em diferentes horários.
  2. Tenha um kit de primeiros socorros para o seu animal. Neste kit, tenha visível o contato da emergência 24h, um termômetro, esparadrapo, gazes estéreis, faixas de compressão largas, uma tesoura, bandagens, gel antisséptico, luvas estéreis, uma caneta, água oxigenada volume 10%, carvão ativado e dipirona gotas. Caixa de transporte sempre disponível! Limpa e segura!
  3.  Atropelamento ou quedas: as fraturas devem ser imobilizadas com faixas ou pedaço de papelão. Fraturas expostas, o melhor é cobrir a região com um pano grande e limpo.  Vale ressaltar que no caso de fraturas expostas, somente um veterinário terá habilidade de reposicionar, por isso apenas cubra a região com pano limpo e busque assistência veterinária. Muito cuidado com as mordidas! O animal estará com dor, então, com auxilio de um cobertor ou toalhas de banho, cubra ou enrole a cabeça do animal. Tenha cuidado para manter a respiração dele viável.
  4. Envenenamento: Antes de qualquer atitude é importante saber o que o animal ingeriu. Nunca dê leite ou água para o animal. Nunca! Administre, por via oral, a água oxigenada do kit de emergência. Isso fará com que o animal vomite o conteúdo tóxico. O carvão ativado também ajudará a evitar a absorção do veneno. Estimular o vômito é uma atitude de emergência e pode salvar seu animal, mas somente o médico veterinário poderá estabilizar o quadro.
  5. Sangramento por cortes – nunca lave a ferida. Utilize bandagem ou panos limpos, como toalhas e pressione para evitar mais perda de sangue. Procure imediatamente o veterinário.
  6. Engasgos. Ofereça petiscos seguros para seu animal. Atualmente o mercado pet conta com produtos anatomicamente produzidos para auxiliar a preensão e evitar esses acidentes. No caso de engasgos, a mesma Manobra de Heimlich utilizada em humanos pode auxiliar seu pet. Muito cuidado ao tentar abrir a boca do animal, pois pode acontecer mordedura!
  7. Convulsão. Coloque seu animal sobre almofadas e enrole em cobertores para evitar traumas pela agitação. Cuidado com as mordeduras que podem acontecer. Lembre-se que o animal está inconsciente e pode machucar você. Espere o quadro se acalmar e o leve para acompanhamento clínico veterinário.
  8. Avalie sempre as vias respiratórias e batimentos cardíacos. Lembre-se que a manutenção da vida começa por aqui. Aja com calma, tenha atenção para não se machucar e procure seu veterinário de confiança.
  9. Em caso de dor, a medicação mais segura que você pode oferecer é a dipirona. Uma gota para cada quilo pode aliviar o desconforto até que o veterinário estabeleça o protocolo de controle de dor. Na Inglaterra, a medicação usada é a aspirina, na dose de 10mg para cada quilo. Ou seja, para um cão com 10kg, por exemplo, você pode administrar 100mg (equivalente a mais ou menos ¼ de comprimido).

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.