20 C
Brasil
segunda-feira, agosto 15, 2022

Conforto para os pets: como a telemedicina veterinária vai revolucionar a vida dos animais

*Por Alaíde Barbosa, CEO da Capri Venture

Publicidade

Na era da tecnologia, as mais diversas plataformas digitais já são aliadas da saúde humana. É o caso da telemedicina, que encurta caminhos e traz conforto para pacientes em todo o mundo. Na pandemia, esse sistema de atendimento cresceu e se consolidou, assim como as mais diversas formas de trabalho remoto, que tiveram suas vantagens evidenciadas e incorporadas de forma definitiva ao cotidiano.

Da mesma forma que acontece com as pessoas, muitas vezes os animais precisam de um atendimento imediato ou de uma consulta com mais conforto, sem precisar sair de casa. Outro ponto importante é o acesso a profissionais especializados. Na medicina veterinária, as especialidades não são tão comuns, especialmente em regiões remotas, mas isso não significa que o pet não vai precisar de um atendimento com ênfase em determinada área, como cardiologia, dermatologia ou endocrinologia. Nesse cenário, até mesmo as clínicas veterinárias ganham mobilidade com a redução das consultas presenciais e o direcionamento do foco da equipe para atender demandas de urgência e consultas de alta complexidade.

Publicidade

Em um momento de grandes transformações sociais, a telemedicina tem claramente crescido no Brasil, trazendo mais possibilidades de satisfazer demandas diversas a partir de um tratamento adequado e sem grandes custos. O caminho está aberto e culminou na recente legalização da prática. No dia 8 de junho, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) aprovou a resolução que regulamenta o serviço. Um novo nicho de mercado é criado e, a partir de agora, então, novas ofertas e possibilidades devem surgir de forma acelerada.

Para o tutor ter acesso a uma consulta, basta ele acessar um dos aplicativos disponíveis, com uma internet estável, microfone e câmera, no computador ou no celular. A startup Dr. MedPet já está com o sistema pronto, apenas aguardando a norma entrar em vigor, em 1º de julho. O projeto da empresa visa democratizar o acesso aos melhores veterinários, de forma simples e rápida.

Outro exemplo é a startup Be Pet, que também estava aguardando a liberação para habilitar o recurso da telemedicina, totalmente voltada aos criadores de pássaros, com o propósito de reduzir o deslocamento desnecessário para as clínicas especialistas.

De acordo com o Instituto Pet Brasil, em 2021, os serviços veterinários representaram 9,3% do mercado pet, totalizando R$ 4,7 bilhões. Segundo a startup DrMed.Pet, com a democratização do acesso aos serviços veterinários, o mercado tende a crescer em torno de 14%, inicialmente. O principal responsável por esse aumento é a consulta com valor acessível, que traz boa parte dos tutores que, mesmo tendo receitas mais baixas, não abrem mão de ter seu “melhor amigo” ao lado.

Publicidade

O mercado pet, apesar de sua grandeza, ainda é muito incipiente e carente de inovação. Além dos aplicativos direcionados para a conexão do tutor com o especialista, outras tecnologias certamente serão agregadas, a exemplo do reconhecimento da identidade do pet.

As possibilidades são infinitas, e em breve a inovação trará possibilidades antes inimagináveis para cuidar dos amigos de patas. O desenvolvimento de robótica, a adaptação de equipamentos projetados para humanos, a criação de acessórios, como coleiras com IoT, que registram os sinais vitais e comunicam-se diretamente com os planos de saúde ou com os veterinários para uma emergência, entre outras tecnologias, serão a nova realidade do dia a dia dos pets.

* Alaíde Barbosa é CEO da Capri Venture, uma corporate venture builder que nasceu com o propósito de transformar o ecossistema pet – [email protected]

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.