25.1 C
Brasil
sábado, outubro 1, 2022

Comida de verdade enlatada para pet é saudável?

Novo hábito vem aumentando oferta de comida natural para cães e gatos em pet shops

Publicidade

Quem frequenta pet shop já deve ter observado que cada vez mais é comum encontrar comida enlatada para cães e gatos. Em patê, em pedaços, em lata grande, em lata pequena, com diversos sabores, de diversas marcas. Muitas são as opções para pais e mães de pets que estão ligados na alimentação dos animais. Mas, é preciso ficar atento, afinal, é possível encontrar diversos níveis de qualidade e ofertas. “Temos os famosos patês, pioneiros da comida em lata que em sua grande parte não funcionam como um alimento completo e que são apenas como um plus para adicionar à dieta do animal e não podem ser fornecidos de forma única e exclusiva, afinal não são alimentos completos e balanceados”, explica a médica veterinária da Organnact, Marina Tiba.

De forma mais leiga, os patês podem ser comparados ao tempero da comida, mas não à comida em si. Normalmente são feitos de subprodutos da cadeia e não muito indicados pois quando fornecidos sem equilíbrio podem levar ao sobrepeso animal. Em contrapartida, hoje é possível encontrar Alimentação Natural em lata – essa sim é uma opção interessante. “O primeiro ponto é que se trata de comida de verdade, pedaços de carne e vegetais provindos do consumo humano, cozidos e disponíveis para o animal, entregando uma dieta completa e balanceada, ou seja, possui todos os nutrientes que o animal precisa unicamente nela, além de já ser suplementada”, diz a veterinária. Essa é, com certeza, um dos vários outros benefícios quando comparado com a ração seca convencional, por exemplo.

Tá, mas e no fim, oferecer alimento de verdade enlatado é uma prática saudável? “Hoje já não existe mais o mito de que toda a comida enlatada é ruim, até mesmo para nós, humanos. É possível sim manter uma dieta saudável e balanceada com alimentos em lata, inclusive para os pets. A tecnologia também vem auxiliando no processo. A linha Be Nature, da Organnact, por exemplo, passa por um processo que garante a conservação os produtos sem o uso de conservantes, utilizando o cozimento único em temperatura controlada através da autoclavagem, e garantindo um alimento natural e que consegue oferecer 24 meses de validade, ou seja, 100% seguro para o pet”, explica Marina.

Publicidade

Fato é que a alimentação para pets sempre teve espaço e nos últimos anos vêm recebendo atenção especial, tendo em vista a quantidade de marcas no mercado que passaram a apostar na alimentação natural. Isso também fica claro com a explosão de cursos para médicos veterinários voltados à Nutrição ou Nutrologia a fim de atender essa demanda e, para se ter ideia, a ferramenta Google Trends registrou em junho de 2021 o ápice de buscas pelo termo “nutricionista pet” dos últimos cinco anos. Tudo isso contribui para que o setor pet food, que sempre esteve à frente no crescimento do mercado pet, com o avanço dos estudos de nutrição animal também transforme a maneira com a qual médicos veterinários pensam a relação entre a saúde animal e a alimentação.

Mas, o que vem ocasionando essa mudança? “A gente percebe que a pandemia trouxe um cuidado muito maior dos tutores com seus animais. Somado a isso, os veterinários, cada vez mais especializados na área, enxergam a alimentação natural como uma forma de auxiliar no tratamento de diversas patologias, muitas vezes oriundas do fornecimento de rações secas convencionais, que possuem altos teores de carboidratos. Elas favorecem, por exemplo, a obesidade, além da presença de conservantes e corantes artificiais. Já a alimentação natural é extremamente palatável e oferece maior poder de saciedade para os animais no formato enlatado”, explica a médica veterinária. Foi partindo disso, inclusive, que a empresa investiu mais de R$2 milhões e chamou a apresentadora Angélica como embaixadora para trazer ao mercado uma linha de alimentação natural em lata.

“Você é aquilo que você come”: também vale para os pets

Não é conhecimento empírico. A alimentação é fator crucial para uma boa manutenção da saúde e a prevenção de diversas doenças. Mas, será que isso vale também para os pets? “Sim, com certeza. A alimentação dos animais também deve ser equilibrada, balanceada e de quebra conter nutrientes que ajudem na suplementação que cães e gatos precisam. Não faz nem sentido mais pensar somente em rações secas, quando a gente pensa que originariamente, em seus habitats naturais, animais consumiriam proteínas oriundas da caça, por exemplo”, conclui a veterinária.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.