26.1 C
Brasil
sexta-feira, setembro 30, 2022

Cachorro mancando, descubra o que pode ser?

Publicidade

Quando um cão manca, isso indica que ele tem dor ou fraqueza em uma de suas patas. A claudicação é comum em problemas que envolvem ossos e articulações, mas também pode indicar danos nos músculos ou nos nervos.

Podemos checar a perna em casa procurando por alguma lesão que justifique porque o cão está mancando, mas se não mostrar dano, é essencial ir ao veterinário para obter um diagnóstico, pois existem várias causas que podem explicar essa causa. Vamos ver alguns delas.

O que devo fazer se meu cachorro mancar?

Para descobrir o que levou o cachorro mancar, você precisa ir ao veterinário. Mas em casa podemos tentar encontrar o local da lesão. Às vezes, é apenas uma ferida no pé ou entre os dedos, uma unha quebrada ou pododermatite.

Publicidade

Se não for esse o caso, podemos continuar a sentir cuidadosamente, de baixo para cima, procurando a área mais sensível. Também podemos flexionar e estender, sem forçar e parar assim que o cão a incomodar. Mas, exceto por uma pequena ferida que podemos curar em casa, apenas o veterinário pode nos dar um diagnóstico exato.

A primeira coisa que esse profissional fará é nos perguntar sobre as circunstâncias em que o cachorro começou a mancar. Você deve verificar se ele apareceu repentinamente ou é crônico, se apareceu após um acidente, uma briga ou espontaneamente, quais pernas afeta, como é a perna lesionada, se o cão a apóia ou não, etc.

Causas de que fazem os cães mancar:

Há uma série de causas que podem desencadear um cachorro a mancar. Eles são mais ou menos graves e, a menos que o cão coxeie devido a uma pequena lesão, você deve ir ao veterinário para fazer um diagnóstico. Destacamos as seguintes causas:

  • Leia Também: Lhasa Apso – Características, temperamento e cuidados
  • Infecções, que podemos detectar como áreas vermelhas, quentes e dolorosas. Às vezes, uma ferida é visível e pode surgir pus.
  • Entorses e distensões, que ocorrem de repente e podem ser acompanhadas de inchaço. A perna afetada às vezes é apoiada, mas não normalmente.
  • Fraturas e luxações, que são caracterizadas por causar dor muito intensa. A perna danificada não pode ser apoiada. Pode haver deformação, inflamação e hematomas.
  • Doenças ortopédicas hereditárias, sua aparência é geralmente progressiva e claudicação já é vista em cães jovens. Não desaparece e piora com o tempo. Normalmente, nenhuma alteração externa é detectada na perna ou há apenas uma leve inflamação.
  • Artrite, osteoartrite ou doença articular degenerativa é a causa mais comum de claudicação em cães mais velhos. É característico que é mais perceptível quando o cão se levanta e diminui com o movimento.
  • Lesões na medula espinhal ou nervos causam fraqueza e paralisia. Eles podem afetar uma ou várias pernas.
  • Os tumores ósseos podem ser sentidos como um nódulo ou massa consistente. Pode ser doloroso se pressionarmos. O câncer é diagnosticado mais em cães mais velhos.

Como claudicação é diagnosticada em cães

Para resolver esse problema que leva o cão a manca, é essencial descobrir o que é a causa. Exceto nos casos em que descobrimos uma ferida no pé ou um corpo estranho pregado, para chegar ao diagnóstico, o veterinário terá que recorrer a diferentes exames, além de exame e palpação.

A coisa mais normal é fazer radiografias, que permitem diagnosticar fraturas e luxações. Eles também fornecem informações sobre o crescimento ósseo ou inflamação dos tecidos moles. Mas às vezes eles não são suficientes e você precisa recorrer a testes mais complexos. Por exemplo, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Publicidade

O problema é que esses equipamentos estão disponíveis em poucos centros e podem supor um custo considerável. Às vezes, um teste de líquido sinovial é feito quando há inflamação em uma articulação. O fluido é removido com uma agulha e, se não estiver claro e com um amarelo muito claro, indica lesão ou infecção.

Tratamento da claudicação em cães

Logicamente, o tratamento dependerá da causa. É por isso que um bom diagnóstico é tão importante. Como exemplo, a seguir, revisamos o que fazer sobre as causas mais comuns de claudicação em cães:

  • Feridas: somente se forem superficiais, poderão ser tratadas em casa. Elas devem ser limpas e desinfetadas. Se houver um corpo estranho, ele tem que ser removido com uma pinça e depois desinfetado. Uma unha quebrada pode ser cortada para não prender.
  • Entorses: exigirão a administração de analgésicos, além de descanso, restrição de atividade, caminhadas na coleira ou aplicação de frio ou calor, de acordo com as instruções do veterinário.
  • Fraturas: requerem fixação dos ossos afetados. Dependendo de suas características e das do cão, pode ser necessário imobilizar ou realizar uma operação cirúrgica. A recuperação passa por um bom período pós-operatório. Ao não operar quando necessário, existe o risco de danos permanentes.
  • Infecções ósseas: Antibióticos são prescritos, mas a parte danificada do osso também deve ser removida.
  • As doenças ortopédicas, como displasia da anca, são tratadas com analgésicos, restrição de atividades, controle de peso e, em alguns casos, intervenção cirúrgica.
  • A artrite é uma doença degenerativa que não pode ser curada, mas é possível tratar para aliviar seus efeitos. Para isso, são prescritos fisioterapia, controle de peso, analgésicos e condroprotetores.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.