27.9 C
Brasil
terça-feira, setembro 28, 2021

Cachorro com pedras nos rins

Publicidade

O acúmulo e o endurecimento de certos sais minerais na urina é o que causa a formação de pedras nos rins em cães, uma doença que pode prejudicar seriamente a saúde de nossos amigos peludos se não for tratada a tempo.

Essas pedras urinárias nos rins, o órgão no qual a urina é produzida, podem ter diferentes formas e tamanhos. Na verdade, algumas raças têm maior probabilidade do que outras de desenvolver certos tipos de pedras.

Publicidade

A melhor forma de evitá-los é entender quais os fatores que causam sua formação, por isso a partir do Meu Pulguento queremos mostrar quais são seus sintomas, tratamento e como evitá-los.

Origem das pedras nos rins em cães

As pedras nos rins, também conhecidas como nefrólitos, são causadas por uma alteração no equilíbrio normal de minerais e outras substâncias que são expelidas durante a micção. Esse desequilíbrio pode ser causado por vários fatores de risco. Os mais comuns são:

Alta concentração de sais na urina

  • Retenção desses sais por um determinado período de tempo no trato urinário.
  • Acidez urinária (Ph), que favorece a cristalização desses sais.
  • Diminuição de certas substâncias naturais (inibidores naturais), que impedem a formação desses cristais.

Todos os fatores acima estão intimamente relacionados. Se, por exemplo, seu cão tem uma dieta rica em proteínas e minerais e pobre em fibras, isso pode fazer com que sua urina tenha maior concentração de sais e fique mais ácida, condicionando o aparecimento de cálculos renais.

Muitas vezes acontece que saímos para passear com o nosso cachorro com pressa, ou ele não encontra tempo para urinar, de forma que fica retido por mais tempo na bexiga, o que também pode condicionar o aparecimento de pedras.

Tanto no nosso corpo, como no dos peludos, existem inibidores naturais, que nada mais são do que certas substâncias que impedem a formação dessas pedras, porém, fatores como idade, raça, infecções urinárias ou outros distúrbios metabólicos, fazem com que Esses inibidores não fazem seu trabalho e as pedras se formam.

Diferentes tipos de pedras nos rins

Existem diferentes tipos de cálculos dependendo da causa que os originou, porém além de sua natureza química ou de sua forma seria interessante saber em que parte do sistema urinário de nosso cão se formam.

Os cálculos se formam dentro dos rins e também podem se alojar ou se formar na bexiga, que é o mais comum. Os problemas mais sérios ocorrem quando o fluxo normal de urina é bloqueado, geralmente em homens, o que pode causar infecções ou insuficiência renal.

Quando uma pedra obstrui a uretra, que é o tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é expelida, o cão não consegue urinar. Nesse caso, se ele não urinar em um período de 12 a 24 horas, deve-se levá-lo imediatamente ao veterinário, pois se trata de uma emergência médica.

Sintomas e diagnóstico de pedras nos rins em cães

Um cão com cálculo renal pode não apresentar sintomas e pode ser detectado por um exame médico por outro motivo. Às vezes, em vez disso, há indícios que podem nos fazer suspeitar que o cão tem cálculos renais. Os sinais mais frequentes são:

  • Sangue na urina (hematúria).
  • Dor nos rins ou na área do estômago
  • Falta de apetite e perda de peso
  • Vômito
  • Mais sede e micção menos frequente (poliúria)
  • Dificuldade para urinar (disúria)
  • Cansaço ou falta de energia

Se o seu cão apresentar algum destes sintomas, deve levá-lo imediatamente a um especialista, para que ele confirme o diagnóstico. Isso geralmente requer um raio-X abdominal ou ultrassom.

Por outro lado, os exames de urina detectarão se há infecção do trato urinário, o que pode ajudar a identificar o tipo de cálculo. É importante saber, pois disso dependerá o tratamento a ser seguido.

Tratamento para cálculos renais caninos

O tipo de pedra e os problemas que causa ao cão podem variar o tratamento. Se houver um bloqueio, é muito provável que seja necessário operar com urgência.

Outras pedras podem ser eliminadas com uma dieta especial que ajuda a dissolvê-las e a modificar o pH da urina. Existem cálculos (nefrólitos) como os oxalatos, que não podem ser tratados desta forma, por isso devem ser removidos com cirurgia, laser, ondas ou medicamentos.

Depois de eliminados, o cão pode continuar a precisar de uma dieta especial ou medicamentos para a vida. Para não ter que chegar lá, podemos tomar alguns cuidados que nos ajudam a evitar cálculos renais em cães.

Como evitar pedras nos rins em cães

Algumas boas práticas que ajudam a prevenir a formação de pedras nos rins em cães são as seguintes:

Troque a água em seu recipiente diariamente. É importante que você tenha acesso constante a água limpa e fresca, pois isso ajuda a diluir a urina e expelir os minerais que formam as pedras. Se o cão for especialmente enérgico ou se estiver quente, ele precisará de mais água. No caso de ele não estar recebendo o suficiente sozinho, tente adicionar um pouco de água morna à ração ou dar-lhe mais ração úmida.

Cuide de sua dieta. Usar comida de cachorro de alta qualidade também ajuda, e seu veterinário poderá recomendar uma dieta adequada para prevenir pedras nos rins. Idealmente, não deve ser muito rico em cálcio, magnésio, fósforo e proteínas (carne ou vísceras). Além disso, existem suplementos nutricionais que promovem a saúde do trato urinário.

Exercício regular. Os passeios ajudam o cão a ficar em forma. Uma caminhada diária, com tempo para se aliviar, fará com que seus rins funcionem melhor.

Esses três aspectos são essenciais para prevenir a formação de pedras nos rins e evitar que os peludos sofram de problemas renais. É importante que você os tenha sempre em mente, mas especialmente nas raças mais propensas a desenvolver esses tipos de distúrbios.

Finalmente, check-ups periódicos e estar atento a qualquer sinal de alerta nos permitirá detectar o mais rápido possível qualquer cálculo renal que possa ocorrer

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui