30.1 C
Brasil
sexta-feira, dezembro 2, 2022

Adoção do Snoopy inspirou casal gaúcho a criar e-commerce de semijoias dedicado a petlovers

Publicidade

Em maio de 2020, marca já superou as doações de todo o ano de 2019

O que leva as pessoas a abrirem um negócio? Para o casal Brunner Monique Giacomin, 29 anos, e Diego Luis Bedin, 29 anos, diretores da Petmom, foi o amor pelo Snoopy. A ideia de criar um e-commerce de semijoias dedicado a petlovers surgiu em fevereiro de 2018, alguns meses após a adoção do cãozinho dourado, que roubou o coração do casal.

Em outubro de 2017, o Snoopy, na época com não mais do que quatro anos, estava perdido pelas ruas de Porto Alegre (RS). Ao saber que ele precisava de um lar, Brunner começou a compartilhar com os amigos e familiares a notícia. Então quando um amigo sinalizou a possibilidade de ficar com ele, o casal foi buscá-lo pessoalmente para mediar a adoção. Brunner simplesmente não conseguiu. “Quando vi aqueles olhos brilhantes tudo fez sentido. Ali mesmo já sabia que ele faria parte da nossa família”.

A presença do ‘anjo dourado’ apresentou ao casal um mundo novo e os inspirou a conhecer mais o mundo pet. Foi então que começaram a pensar em formas de empreender na área, com o propósito de ajudar mais animais de rua como o Snoopy. Eis que surgia a PetMom.

Publicidade

Dados do Instituto Pet Brasil, mostram que o País é o segundo principal mercado pet do planeta, perdendo apenas para os EUA. Em 2018, o varejo pet nacional movimentou R$ 34,4 bilhões, alta de 4,6% na comparação a 2017. A estimativa em 2019 era fechar com faturamento de R$ 36,2 bilhões. “Hoje somos especialistas na linha pet de semijoias folheadas em ouro 18k com até 10 camadas de banho antialérgico, e 6 meses de garantia, além de uma linha prata 925, nos dedicamos diariamente para oferecer produtos personalizados, singulares e com qualidade”, destaca Diego, natural de Dois Lajeados.

Pingente cão – crédito PetMom

O início das vendas começou por meio de um portfólio de aproximadamente 50 peças, mais focadas em cachorros e gatos, pelo Mercado Livre. Posteriormente, foram criadas as redes sociais e as vendas foram expandidas por esses canais também. “Logo sentimos a necessidade de termos o nosso próprio meio de venda e criamos o site, em novembro de 2018. Atualmente, nosso portfólio é de mais de 500 peças, com entrega imediata, abrangendo ‘mamães’ das mais variadas espécies, inclusive de aves, porquinhos, cavalos e outros. Os pedidos da PetMom são muito variados, entretanto, as peças personalizadas são as mais demandadas, pois as possibilidades de personalização são infinitas, já que o artista é o próprio cliente”, explica Brunner.

O atendimento aos clientes, desenvolvimento e desenho das artes personalizadas é feito em Dois Lajeados (RS). As peças são fabricadas em Guaporé (RS), o segundo maior polo de semijoias do Brasil, onde empresas parceiras finalizam o processo de produção, com a qualidade que os clientes merecem. Cada peça é enviada com muito cuidado e amor por nossa família.
“Cada um dos nossos colaboradores tem um papel especial na nossa empresa e o resultado que alcançamos hoje, só é possível porque todos acreditam no mesmo propósito.”
diz Brunner.

Brunner, Scooby e Diego – crédito Carolina Brugnera

Resultados

No primeiro ano da PetMom, de novembro de 2018 a novembro de 2019, o faturamento representou um crescimento de 600%, totalizando R$ 128 mil. Em 2019, a PetMom participou da primeira Black Friday, superando as expectativas. “Recebemos 250 pedidos em seis dias, o que corresponde ao total de número de pedidos feitos nos primeiros cinco meses do e-commerce”, comemora o casal. Em 2020, apesar de todas as adversidades em função da pandemia, a PetMom tem demonstrado números positivos. Apenas no mês de maio fechou com crescimento 525% superior na comparação a janeiro.

Publicidade

Apoio a ONGS

Não é apenas a indústria, comércio e serviço que estão preocupados com os efeitos negativos da pandemia COVID-19 pelo mundo. ONGs protetoras de animais têm pedido à população que não as abandonem, especialmente com a doação mensal de valores para conseguir manter funcionários e comprar alimentos a milhares de cães, gatos e outros bichinhos que se encontram em abrigos ou que precisam ser resgatados e de cuidados.

Sensibilizada com a situação das ONGs, em março, a PetMom decidiu criar a campanha ‘Amigos do Snoopy’. Entre março e abril, a iniciativa permitiu que ONGs de todo o Brasil pudessem se inscrever para um auxílio emergencial e nesse período 20% da compra de cada semijoia no site www.joiaspetmom.com.br foi revertido para as ONGs cadastradas, superando assim o ano de 2019 inteiro em valor de doações.

Patinhas – crédito PetMom

Em maio, a PetMom retomou as doações mensais de 5% para uma ONG indicada pelo time de embaixadores, iniciativa adotada desde 2018. Também manteve o repasse de 10% paras as compras realizadas no site com o cupom das ONGs cadastradas. Ao realizar a compra no site, o cliente deve utilizar o cupom de uma das ONGs participantes. No site da PetMom é possível conferir mais detalhes sobre a campanha e escolher entre as 23 instituições inscritas, das mais diversas regiões do Brasil. “O cliente usa o cupom da Ong escolhida, tem um desconto de R$ 10% na sua compra e também poderá parcelar em até 10 vezes sem juros”, completa Bruner.

Últimas Postagens

Notícias relacionadas:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.